Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘parto’

Opções

Quando Primeira Afilhada nasceu, prematura, com direito a incubadora, UTI neonatal, internação, noites em claro, isolamento em casa até poder tomar vacinas e passear, acompanhamento quase diário de peso etc etc etc, fiquei chocada com o que uma experiência traumática pode fazer com uma pessoa. Ou duas. Ou três. Ou mais.

Nunca tinha pensado sobre parto normal x cesárea, por exemplo. Mas não precisei de muita leitura para saber que sou favorável ao termo “normal” (como sinônimo de “natural”, “ordinário”) quando comparado a uma intervenção cirúrgica. Não precisa ser nazista pra entender que qualquer cirurgia deveria ser extraordinária (no sentido de “não ordinária”, “incomum”) e que a ordem natural das coisas deve ser buscada. Ou seja, havendo opção, coloquem-me com as contrações, o bebê pulando da “pepereca” (como diria Quinha, agora não mais um bebê prematuro) e a ausência de aberturas na minha barriga.

Mas não havendo opção (devidamente informada, esclarecida, explicitada), passemos para o extraordinário, o pouco comum, o não-natural. Passemos ao método criado pelo homem para salvar mães e bebês quando o método comum se mostrar excepcionalmente arriscado.

Não prego o parto humanizado. Não prego a criação com apego. Não prego o uso de sling. Não prego por uma questão semântica: tudo isso é escolha e escolha depende de informação. Pregar qualquer coisa significa militar por seu uso por todos, o que de certa forma afasta a escolha. Nessa seara de educação, gravidez, parto, filhos, só prego isso: informação. Acredito (e alardeio) que devemos buscar informações onde quer que elas estejam e com base nessas informações (e no senso crítico que qualquer ser humano tem) desenvolver opiniões, sabendo que opinião implica em ação/omissão e que tanto fazer quanto não fazer trazem consequências. Limito-me a responder quando questionada. Limito-me a dar opinião (a minha opinião) com base no que eu li, no que eu vi, no que eu observei. E uso essas minhas experiências (não minhas) para tomar minhas decisões.

Parto normal é uma delas.

Complicado nisso tudo é saber que tem médico por aí tomando decisão por mãe. E saber que tem grávida e não-grávida por aí acreditando piamente que uma intervenção cirúrgica (anestesia, bisturi, agulha, corte, ponto) é absolutamente mais segura que usar o caminho naturalmente pré-existente.

Cuidado com os absolutismos. Foi algo que eu aprendi convivendo com rimã, Primeira Afilhada, Cunhado e sua história.

Image

Anúncios

Read Full Post »